Você sabe o que é Agile Marketing?

O Marketing Preguiçoso e o Condicionamento
O Marketing Preguiçoso e o Condicionamento
12/12/2016
[Especial] Agile Marketing - Parte 1
[Especial] Tudo sobre Agile Marketing – Parte 1
11/01/2017
Show all
Cover - Agile Marketing (Video)

Antes de mais nada, gostaria de desejar um feliz ano novo para você. Para começar bem o nosso ano, trouxe um dos assuntos mais quentes e também um dos mais impactantes no marketing nos último ano, o Agile Marketing. Não sabe do que estou falando? Sem problemas, confira o nosso vídeo.

Transcrição do Vídeo

Eu quero falar para vocês hoje sobre Agile Marketing.

Quantas vezes a gente ouviu profissionais falarem: “Nossa esse meu planejamento aqui que eu fiz pro ano, eu não consigo mais mexer. Não consigo mexer no meu orçamento, não consigo colocar um novo projeto nesse ano. Não consigo alterar a maneira com que eu estruturei as ações do meu plano”. Isso significa que a gente tá trabalhando no método tradicional, no método em cascata.

Ou seja eu planejo, eu executo, eu vejo como é que foi, e esse ciclo normalmente é muito longo. Quando a gente fala do ciclo ágil, o que que isso significa, que a gente joga o planejamento pela janela? NÃO. O ciclo ágil significa que a gente quebra esse cascata em vários pequenos Sprint, que eu tenho do início ao fim toda a lógica de planejamento do projeto e execução e coloca um produto no ar.

Está gostando do conteúdo?

Cadastre-se para receber todos os nossos artigos em primeira mão, vamos lá?

Nós valorizamos a sua privacidade, não enviaremos spam para você

Então a gente trabalha com uma metodologia mais compacta e ao mesmo tempo que permite essas várias interações. O que isso me dá como sub-produto? Isso faz com que eu consiga ter muito mais flexibilidade na maneira como executo o marketing. Isso quer dizer que a gente pega planejamento e rasga? Não, muito pelo contrário, a gente é muito mais consciente, as empresas normalmente planejam o marketing, fazem um grande plano ou contratam uma consultoria e botam na gaveta. Nunca mais pegam. Eu defendo que a gente faça um plano muito mais enxuto, muito mais objetivo, um plano que consiga caber numa página

Esse plano vai nortear minhas ações ao longo do ano. Não tem nada escrito em pedra. A única coisa que está escrito em pedra é o resultado que eu tenho que atingir. Em cima desse resultado, eu fazer toda a minha lógica de execução ágil. Então o que que significa execução ágil? Significa que eu vou pegar esse plano de longo prazo,  vou estabelecer uma métrica Central, essa métrica é a métrica que está alinhada o negócio da empresa, alinhado objetivo de negócio da empresa e eu vou executar pensando nisso. Eu vou executar e vou ter sprints de 15 em 15 dias ou de um e um mês. Eu gosto de 15 em 15 dias, onde eu vou ter ciclos de aprendizados. E esse ciclos de aprendizados vão garantir que eu cheguei muito mais perto dos meus objetivos e que eu consiga corrigir a minha rota quando necessário.

Coisa que um plano anual super engessado não me permite. Se eu tiver que fazer uma realocação de orçamento, tiver que fazer uma realocação de projeto ou simplesmente matar um projeto, não tem problema. Porque a gente está constantemente aprendendo e batendo com a nossa métrica o que a gente tem que atingir. Esse é o conceito de Agile Marketing.

Ele herdou muito da tecnologia da TI, com SCRUM e todas as metodologias ágeis de desenvolvimento de software. Que antes eram todas feitas em cascata e agora são todas feitas praticamente, ao menos nas empresas de ponta, são feitas com metodologias ágeis, a mesma coisa a gente vai ver acontecer no marketing. Então a gente está indo, está partindo para um marketing muito mais ágil nas organizações. Um sub-produto disso vai ser muito mais inovação e muito mais velocidade.

Inovação de que forma? Normalmente nós teremos duas pilhas. Uma pilha daquilo que eu sei que funciona e a pilha daquilo que eu acho que talvez possa funcionar. Normalmente a gente pega um projeto da pilha que eu acho que pode funcionar, coloca e torce para ele dar certo. No Marketing Ágil, não existe isso. A gente tem a pilha do que funciona e a gente tem uma pilha de hipóteses, do que eu acho que talvez funcione. E eu monto experimentos para entender se pode funcionar ou não. Experimentos muito baratos e rápidos. Então, a medida que eu vou sabendo se esse experimento funciona, eu coloco ele na minha pilha das coisas que eu sei que funcionam, coloco mais dinheiro e começa otimizar o que funciona e aí agente vai conseguir um ritmo de inovação muito mais rápido.

Eric Hayashi
Eric Hayashi

Editor DoMKT × CM Sympla × Curador Startup Digest × Owner EHayashi | #startup #photo #digital #biz #video #tech #creative [+]