Quer ficar genial? Pegue Emprestado

Internalizar o Marketing VS Contratar uma Agência
Internalizar o Marketing VS Contratar uma Agência
14/02/2017
Quando o marketing deve passar um lead para vendas?
Quando o marketing deve passar um lead para vendas?
07/03/2017
Show all
Quer ficar genial? Pegue Emprestado

Hoje o papo é muito legal, vamos falar para você como vocês se tornam geniais no Marketing sem fazer muito esforço. Parece impossível né? Muito pelo contrário é muito mais simples do que você imagina e o melhor, muitos exemplos reais e que você pode começar já agora! Dê o play e venha conosco.

Transcrição do Vídeo

Tudo bem gente aqui é Pedro Waengertner e hoje eu quero falar para vocês, como vocês se tornam geniais no Marketing sem fazer muito esforço. E acho que esse é o mais legal, né?

Não, não precisar fazer muito esforço e acho que ao longo do tempo, na história, todas as ideias muito legais do marketing ou até de outros setores, vieram de cruzamentos. De como a gente cruza um setor com o outro, cruza uma ideia com a ficção, a ficção com a realidade e é sobre isso que quero falar. Uma das formas mais fáceis da gente, supostamente, tornar geniais no marketing é pegando emprestado de outro setores. É roubando de outros setores.

Está gostando do conteúdo?

Cadastre-se para receber todos os nossos artigos em primeira mão, vamos lá?

Nós valorizamos a sua privacidade, não enviaremos spam para você

1ª Exemplo: Disney

A Disney é um ícone, ele tem seus parques de diversão. Aí surgiu o Uber e ele tem aquele sistema de precificação dinâmica, de acordo com a demanda. Quanto maior a demanda, mais caro ele fica. Então eles garantem sempre vão ter carros disponíveis. Pensando nisso, a Disney olhou para os seus parques de diversão e começou a entender que a dinâmica era muito parecida com a do Uber. Tem dias que no verão lá, em alta temporada, é mais cheio. Um dia da semana que é feriado é mais cheio. Então ela começou a aplicar também a gestão dinâmica de preços nos ingressos. Essa é uma maneira simples de roubar o conceito de um setor e colocar no outro. Acho que boa parte das ideias vem daí.

2ª Exemplo: Eataly

Outro exemplo e aí vem o Eataly. Todo mundo, ou maior parte das pessoas, conhece o Eataly. Restaurante famoso mundial – tem em Nova York, aqui em São Paulo. O Eataly é quase um shopping da gastronomia. Tem vários pequenos restaurantes lá dentro e tal, pois bem, ele beira o entretenimento. Foi pensando nisso que ele olhou para Disney e pensou: “Por que eu não roubo esse conceito e eu crio quase que um parque temático”. E aí veio o Eataly que eles estão abrindo lá em Bolonha na Itália, que vai ser basicamente um parque temático da gastronomia. Um parque para adultos. De novo, pegando emprestado conceitos de outros setores. E aí você se torna genial.

3ª Exemplo: Nike

Vamos para a Nike. A Nika está lançando um tênis agora, que vai ser meio caro agora, mas como toda tecnologia ele sempre cai o preço, isso é inevitável. É um tênis inspirado no filme De Volta para o Futuro, que tinha inclusive o Nike que o personagem Marty McFly usava e apertava o seus cadarços e então ele ajustava ao tamanho do pé. Pois bem, a Nike criou esse produto e agora, se você reparar, ele tem até a sensação de que ele está apertando, com barulinho do motor e um pouco mais lento do que a automatização de hoje em dia permitiria. Para justamente eu ter essa percepção de que ele está apertando o meu pé e ajustando, aperta e folga, e essa movimentação faz com que o tênis seja super High-Tech. Então de novo, peguei de um setor, ou nesse caso, da ficção e trouxe para a realidade, como várias outras invenções que a gente vê até na ficção científica. Como a gente viu no Minority Report, lá o Tom Cruise fazendo aqueles movimentos. Todo mundo começou a criar interface parecida com aquelas. E na verdade é a gente pegando de setores.

4ª Exemplo: Veronica Mars

Pegando ainda na linha do entretenimento e do setor de cinema, a gente vê o crowdfunding, que o pessoal tava usando para financiar projetos culturais e afins, sendo pego por produtores independentes para financiar determinados filmes que fariam sentido para o público. Um exemplo é Veronica Mars, que era uma série que fez bastante sucesso na década de 90, se não me engano, e morreu. Aí as pessoas começaram a fala de um filme, um filme, um filme e o produtor foi lá, fez uma campanha de crowdfunding, conseguiu um acordo com a distribuidora, que se ele financiasse o filme, a distribuidora iria distribuir e conseguiu. Acertou e o filme foi para o mercado. Então ele foi criativo na parte de financiamento do negócio dele. De novo, pegou coisas que já estavam.

O que eu digo para vocês? Se vocês querem ficar mais inteligentes, mais geniais no marketing de vocês, peguem o setor que você estão, olhem para outros setores e vejam como eles vendem, como eles atraem clientes, como eles prospectam novos clientes, como que eles estruturam o suporte, o pós-venda, tem tanta coisa pra gente aprender. Mas nós estamos condicionado a olhar o nosso setor padrão. Então se eu sou do setor de Farma, eu só olho farma. Se eu sou do setor de Beleza, só olho beleza e aí por diante.

Nós temos que começar a enxergar outros setores, que às vezes a solução está logo ali. Ela é muito mais simples do que a gente imagina. E aí eu tenho que pegar e testar. Testando, funciona. Na maioria das vezes algum aprendizado a gente vai ter.

Então espero que vocês se tornem cada vez mais geniais e mandem as ideias que vocês conseguiram, que vocês implementaram, eu tô louco para divulgar por aqui. Valeu gente.

Eric Hayashi
Eric Hayashi
'CEO' #EHayashi, Cofounder @DesafiandoMKT, Curador #StartupDigest, Planner @GrupoTV1 // #startup #photo #digital #content #biz #video #tech #creative [+]